Comentários

10/11: Comprando música pela Internet

A venda de álbums e faixas pela Internet não é interessante para a indústria fonográfica, pois transfere o poder ao comprador, que terá liberdade para comprar as faixas que ele quiser, em vez de ter que comprar um CD onde 2 ou 3 faixas são interessantes, e o resto serve para encher linguiça.

Por isso as grandes gravadoras têm resistido a entrar nesse mercado, apesar da demanda por esse serviço ser cada vez maior. Os consumidores gostam da liberdade oferecida por este modelo de comercialização, e sabem que a tecnologia necessária já está disponível.

Com a tecnologia atual, o consumidor se acostumou a converter seus CDs em arquivos de áudio, para ouví-las em MP3 Players, computadores, ou mesmo gravar um novo CD, com as faixas preferidas, ordenadas de acordo com sua preferência.

Portanto ao lutar contra essa tendencia, as gravadoras estão apenas alienando seus consumidores. O malfadado CD anti-cópias é o maior exemplo do tratamento dispensado pelas gravadoras a seus clientes.

Felizmente, apesar da resistência à mudança, a comercialização de música pela Internet parece que é uma tendencia inevitável. Algumas empresas já estão prestando esse serviço, com sucesso. Infelizmente, para conseguir a adesão das gravadoras, a maioria dessas empresas têm incluído controles de DRM (Digital Rights Management), que impõe limitações à utilização das faixas adquiridas.


A iTunes Music Store, da Apple Computers, é o mais bem sucedido empreendimento nesse ramo. Com apoio das gravadoras, a iTunes MS possui um acervo com mais de um milhão de faixas, ao preço aproximado de 1 dólar cada.

As faixas são transmitidas para o computador do usuário em um formato de arquivo proprietário, que pode ser ouvido nos MP3 Players iPod, ou no programa iTunes, que é distribuido gratuitamente. O iTunes também toca MP3, e é uma ótima opção para quem procura um software para ouvir música no computador, importar e gravar CDs de áudio.

O formato proprietário dos arquivos permite que o controle DRM seja realizado. Esse controle permite que a faixa adquirida só possa ser ouvida em no máximo 5 computadores simultaneamente. Ao copiar o arquivo para um novo computador, o usuário deve obter uma "autorização", através da Music Store. As faixas também só podem ser transferidas para CD de áudio apenas 7 vezes. Não existe limitações para o número de iPods que podem utilizar a faixa.

A iTunes Music Store, porém, só vende suas faixas em determinados países (Estados Unidos, Canadá, Austrália, a boa parte da Europa). No Brasil o serviço ainda não está disponível.

A Napster foi a pioneira em software para compartilhamento de arquivos em P2P, e por um tempo, a inimiga número 1 da indústria fonográfica. Porém agora o litígio acabou, e junto com as gravadoras, também entrou no lucrativo mercado da venda de música pela Internet.

A Napster oferece um serviço de assinatura, que permite que o cliente ouça as músicas on-line, ou baixa as mesmas para seu computador. As músicas transferidas funcionarão enquanto o usuário for assinante do serviço. Se o mesmo desejar cancelar sua assinatura, essas faixas deixarão de funcionar.

Existe também o serviço de venda, onde o cliente adquire a faixa definitivamente. Essa faixa só pode ser copiada para 3 computadores, mas pode ser copiada para MP3 players e gravada em CDs de áudio à vontade. A única limitação, em relação aos CDs de áudio, é que uma compilação de músicas só pode ser gravada 7 vezes.

Outro serviço de venda de música pela Internet é o eMusic. Também funciona por assinatura, permitindo um determinado número de downloads por mês. As músicas são vendidas no formato MP3, ou seja, sem nenhuma limitação por DRM. Por isso, obviamente, a eMusic não trabalha com as grandes gravadoras. O site, porém, possui um grande acervo através de gravadoras independentes.

Continua...

Comentários

O eMusic ainda é bem pequeno e não dá para encontrar músicas "de rádio", por exemplo...mas não deixa de ser o primeiro passo.
10/11 11:42:59
Puxa, mas o texto de hoje não ia ser sobre amor, romance, sentimento? Os leitores estão aguardando! ;)
10/11 13:46:30
Esse deve ser o futuro da comercialização das músicas. As gravadoras têm que se ajustar as modernidades do mercado. Beijus
10/11 18:19:15
Ronzi estão esperando eu me atualizar, criar vergonha na cara e comprar um micro.
Bom feriado gato.
11/11 16:15:53

Comentar

Este post não permite comentários