Comentários

10/10: Armas, nem de brinquedo?

Nós na Rede

Em mais uma ação de blogagem coletiva, o grupo Nós na Rede, decidiu hoje falar do referendo sobre a proibição de vendas de armas no Brasil. Eu já escrevi sobre o assunto na semana passada, mas para não ficar de fora da brincadeira, e apesar de não fazer parte do grupo, decidi hoje falar sobre outro desarmamento: o desarmamento infantil.

Por todo o Brasil, a campanha "Armas, nem de brinquedo", vêm ganhando força. Armas de brinquedo têm sido trocadas por outros brinquedos, livros e gibis, em todo território nacional. E o estatuto do desarmamento, aprovado em 2003, proíbe a fabricação, importação e comercialização de armas de brinquedo no Brasil.

Um dos argumentos para essa proibição seria a de que armas de brinquedo eram utilizadas por criminosos, pois eram identicas às originais. Seguindo essa lógica, nada mais justo que banir as réplicas, mas muitas armas de brinquedo podiam ser facilmente identificadas como falsas.

O problema é que muita gente acha que é errado permitir que crianças brinquem com armas de brinquedo. Cria-se uma cultura do desarmamento, dizem uns. Outros acreditam que a criança pode gostar do "suposto poder" que arma traz.

Besteira.

Papai Noel

Minha primeira recordação com armas foi quando, aos quatro anos de idade, ganhei uma metralhadora do Papai Noel em pessoa. Lembro-me da sensação de poder que tinha ao apertar o gatilho: um barulho ensurdecedor saia do aparelho, e da ponta do cano brilhava uma luz vermelha, à medida em que as balas eram cuspidas à toda velocidade.

Comecei ali minha carreira militar. E sem falsa modéstia, eu era um excelente combatente. Participei de dezenas de guerras, e dizimei fileiras inteiras de soldados inimigos.

Mais tarde, comecei a brincar com armas menores. Revólveres de diversos calibres. Faziam ainda mais barulho, e até soltavam fumaça. Fui xerife, policial. Prendi muitos bandidos, mas tive que matar muitos deles também. Sabe como é, as vezes eles não se entregavam, achavam que podiam me matar, e escapar de suas penas. Ledo engano.

E eventualmente eu a virava casaca. Fui assaltante e assassino. Matei muitos inocentes, duelei com policiais. Mudava de lado à bel prazer, sem o menor constrangimento.

Matei meu irmão e meus amigos diversas vezes. E fui morto por eles, também. Sabíamos que não era nada pessoal, apenas negócios. Eventualmente rolava uma discussão, alguém insistia que estava vivo, mesmo depois do tiro ter claramente atravessado no meio de seus olhos. Com a testa jorrando sangue, o morto-vivo teimava que o tiro tinha pegado no braço. E de raspão.

Depois de um tempo, cansei-me das armas. Passei a ter outros interesses. Novas descobertas, novas possibilidades, tudo isso fez com que eu deixasse aquela vida de sangue para traz. E depois disso, nunca mais peguei em uma arma.

Por isso tudo, acredito que armas de brinquedo não fazem mal nenhum. O que vai fazer uma criança crescer para se tornar um bandido são suas escolhas, influenciadas pelos amigos, pelo ambiente em que vivem e, principalmente, pela educação que seus pais lhe deram.

O problema é que, como sempre, o ser humano quer fugir da responsabilidade, e joga a culpa num simples objeto, como se ele fosse responsável pela violência que assola nosso mundo. Educar os filhos é difícil, evitar que eles brinquem com armas de brinquedo é mais fácil. Ou nem tanto, já que as crianças podem facilmente fazer uma com Lego, ou com dois pedaços de madeira. Criança não precisa de muito, a imaginação faz o resto.

PS: Eu não sou nenhum especialista em crianças, só sei que fui uma um dia. Mas se quiserem uma opinião profissional, leiam o que esse pedagogo escreveu sobre o assunto. Se quiserem mais de uma opinião profissional, bem, Google is your friend.

Comentários

Ricardo, também matei muita gente quando criança e não virei bandida. Tira-se as armas mas a violência continua nos jornais, filmes etc. Ou vivemos em uma redoma? Boa semana! Beijus
10/10 08:47:36
Ricardo

Para se ter uma arma basta espichar indicador e polegar e recolher o demais dedos: BANG!
Dia destes um dono de empresa demitiu desta maneira um colaborador, na minha frente. A atitude destruiu uma familia.
Por sorte consegui, sou consultor e testemunhou a "agressão", um outro emprego para o demitido.
10/10 11:24:48
Jorgge falou e disse.
É besteira, nesse caso teria que ser proibida várias brincadeiras.
Quem nunca brincou de Pega Ladrão? e daquela de Detetive e Assassino. Detalhe na maioria das vezes o Assassino ganha na brincadeira. Eu não virei um.
Bju.
10/10 11:34:33
Jorgge, obrigado por adicionar mais uma horror-story sobre demissões para minha coleção.

A mais macabra que eu soube até agora foi de um cara que estava em sua mesa, trabalhando, quando passa o chefe com o técnico de informática do lado, e diz ao técnico: - Pode bloquear a senha desse aí também.

Luma, Simy, obrigado pela visita. Beijos.
10/10 12:20:08
Eu acho as armas de brinquedo um perigo extremo, as crianças podem se tornar suicidas saltadores de barril quando ficarem mais velhas, devemos incluir os soldadinhos de chumbo, que também levam as crianças a se tornarem belicosas e terroristas da Al-Qaeda.

Abaixo as armas de brinquedo!!!!
10/10 13:26:11
Ricardo eu tentei tomar a cerveja, mas não consegui tomar uma latinha inteira durante toda a noite.
Vou continuar tentando. Bju.
10/10 13:27:43
Ricardo, interessante essa analise das armas de brinquedo. Proibir tudo nao deixa de ser uma forma exagerada (e irreal) de defesa. Porem, o referendo e' sobra armas de brinquedo ou armas de verdade? Abracos.
10/10 13:43:13
Ricardo,

Quando uma simples brincadeira de criança ... começa a ser vista como uma ameaça ao desenvolvimento saudável dessa mesma criança e de nossa sociedade ... sinto que até o mundo do faz de conta de uma criança ameaça os alicerces de uma sociedade hipócrita onde o faz de conta pode virar realidade e a realidade não passa de um faz de conta ...
Quanto ao desarmamento acabando dando no mesmo então a gente restringe, proíbe, dificulta e tudo está resolvido ... sim porque a culpa são das armas (e pelo jeito da armas dos cidadãos comuns) a culpa não é de um Estado ausente que não garante defesa alguma e que quer agora tirar o direito único e pessoal de legítima defesa ....
É isso aí tirem as armas de brinquedo das crianças e as armas de verdade dos cidadãos comuns e depois me conte a história da carochinha !!!
abs,
Raquel
10/10 14:00:53
Fernando, o referendo é sobre as armas de verdade, mas como já havia escrito sobre o assunto, resolvi escrever sobre as armas de brinquedo, para não ficar repetitivo, e descontrair um pouco.

Ronzi, acredito que tive muita sorte em não ter pulado de barril da cachoeira do Acaba-Vida. Mas por ter brincado com armas de brinquedo, quando criança, bem que fiquei tentado.

Raquel, concordo plenamente com você.

E obrigado a todos pela visita.
10/10 14:41:28
Ótimo. :-)
10/10 18:53:32
Ricardo,

Eu já te falei isso pessoalmente mas acho que não adiantou. Vc coloca que já ganhou uma metranca do papai noel e não virou assasino, mas vc (como seu irmao posso falar) teve uma família equilibrada, base, estudo, comida, roupas, não levava chutes nem pontapés, não teve companhias ruins etc...
Mas para uma criança que vive em um lar sem equilíbrio e em uma comunidade perigosa, como é o caso da maioria das crianças brasileiras, o contato com armas de brinquedo só facilita a aceitação das armas de verdade quando essas crianças crescerem.
Por isso, vamos tirar as armas das maos das pessoas, da comunidade, das criancas, vamos tirar as armas de verdade, as armas de brinquedo, vamos tirar as armas da nossa vida de uma vez por todas.
Nao use o seu exemplo que nao serve.
Abraco
Edu
15/10 23:12:25
Claro que meu exemplo serve. É o exemplo de como as coisas devem ser feitas.

Retirar as armas de brinquedo, além não ser solução, é ineficaz, pois como o Jorgge mencionou, basta a criança ter uma mão, para ter uma arma de brinquedo.

E se uma criança que teve uma família desequilibrada, em comunidade perigosa, sem estudo, sem comida, sem roupa, e ainda levando chutes e pontapés, virar um criminoso, você me desculpe, mas armas de brinquedo não tiveram NADA a ver com isso.
17/10 16:19:42
Ta ta não ajudaram em nada né...

Nao teve nada a ver com isso ok ok...

Como diria o velho programa,

Acredite...... Se quiser.

Edu
27/10 23:03:11
ola`´ a todos..
23/12 11:23:57
kad ir ka jus cia rasot as vistiek nesuprantu! wat! :)
03/01 20:43:59
kad ir ka jus cia rasot as vistiek nesuprantu! wat! :)bet ta fotke su "seneliu salciu" tai gera!:)
03/01 20:48:12

Comentar

Este post não permite comentários